Ensinar é um exercício de imortalidade

“Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor, assim, não morre jamais…” (Rubem Alves) ““Ganhemo”, “ganhemo”, “ganhemo…””. Cantando assim, subíamos da…

Continue lendo

Share